Como despachar bicicleta no avião!


Seja por turismo ou para competições ou para quem estiver vindo participar do Desafio KOM, levar sua bicicleta em aviões é uma considerável dor de cabeça, e muitos optam por viajar sem e poupar o trabalho. Há muitas regras, limitações e burocracia - e cada companhia tem regras diferentes.

A primeira coisa que se deve pensar é que a bike obrigatoriamente viaja desmontada na esmagadora maioria das vezes.

No mercado existem diversas opções de bagagens especiais para a bicicleta, para acomodar todos os componentes da bicicleta em segurança. Se a sua bagagem não ultrapassar os 23 quilos (limite estabelecido pela Agência Nacional de Aviação Civil), não é necessário pagar extra pela bagagem. Como cada companhia aérea tem sua própria regulamentação com bagagens, é recomendado entrar em contato por e-mail com a companhia aérea semanas antes, para se preparar adequadamente com antecedência, e imprima o que foi falado e leve ao balcão de check-in, para evitar contratempos.

A LATAM é considerada a companhia mais amiga dos ciclistas, e no sites deles existe uma página falando que a bike pode ser despachada (desmontada ou montada) apenas com plástico bolha.

A GOL também é meio amiga dos ciclistas, desde que você pague a bagagem extra eles transportam sem maiores problemas. A bagagem extra nacional custa R$60 se comprada antecipadamente.

Outra coisa à se levar em consideração é se o voo é internacional ou nacional. As empresas costumam enquadrar bicicletas como sendo bagagem de sobrepeso, e cobram uma taxa extra por bicicleta, variando entre 100 e 150 dólares. E como em voos internacionais geralmente viaja-se com mais malas, isso pode ser um problema tanto financeiro quanto prático.

Além disso, vale sempre aquela simpatia extra com com os atendentes do check-in, pois são eles que decidirão se te ajudarão ou não.

Depois de despachadas, há ainda o problema da segurança da bicicleta, que provavelmente será jogada para um lado e para outro, sem muita delicadeza, pelos funcionários responsáveis. Existem dois tipos de bagagens especiais para o transporte de bicicleta, as malas-bike e o case.

A vantagem das malas-bike é que tem o preço mais acessível, mas são feitas de tecidos mais leves e delicados, e por isso garantem menos proteção às bicicletas. Já os cases são feitos de um material mais forte, resistente à grande maioria dos impactos sofridos. O valor é um pouco elevado, custando no mínimo RS400, mas podendo custar muito mais que isso.

O importante ao viajar com a sua bicicleta é se informar sobre a política de todas as companhias aéreas antes de tomar a decisão de qual é a melhor para você, e depois investir na proteção para a bicicleta. Apesar das dificuldades, vale muito a pena levar seu melhor amigo com você nas viagens. Boas pedaladas!

0 visualização

REALIZAÇÃO

APOIADORES